PT | 
 

 

 

RELATÓRIO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA 2010

 

2010 será para sempre um marco na história da Responsabilidade Social Corporativa da mcel, pois após a nomeação como uma das cinco melhores operadoras do mundo na categoria de “Melhor Contribuição da Telefonia Móvel para o Desenvolvimento Sócio-Económico”, a mcel foi também reconhecida com o prémio mundial de Melhor  Rede Ecológica, pelos Global Mobile Awards 2010, reforçando a posição de líder  ao nível nacional na consolidação das suas práticas de responsabilidade ambiental.

 

O ano de 2010 representou ainda uma forte aposta da componente da Ética nos negócios, mediante a adopção de princípios e comportamentos éticos que reflectem os pilares de comportamento moral da empresa em todos os seus relacionamentos. A revisão e lançamento do novo Código de Conduta Ética  da mcel, desenhado utilizando os princípios da Responsabilidade Social Corporativa, foi resultante do trabalho de um grupo amplo e multidisciplinar, e visa funcionar como um conjunto de indicadores claros e não negociáveis de conduta ética e conferir coerência e convergência às políticas, normas e procedimentos internos da empresa.

 

No que diz respeito à sua intervenção na área da educação, a mcel, em parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia, premiou pelo 3º ano consecutivo, os estudantes vencedores do Equamat e das Olímpiadas de Informática realizadas em todas as províncias de Moçambique. Estas competições têm por  objectivo estimular o interesse dos alunos da  8ª à 10ª classe, pelas ciências exactas, e capacitá-los no uso das tecnologias de informação e comunicação.

 

Num projecto que se enquadra num dos principais eixos de trabalho da maior operadora de telefonia móvel, assegurando aos estudantes e professores do ensino superior o acesso ao mundo digital a preços competitivos com forte ênfase em causas sociais, a mcel tornou-se parceira da iniciativa “e-moçambique”.

 

Prosseguindo com a sua forte aposta na educação, a mcel em parceria com o Gabinete da Primeira Dama da República, Maria da Luz Guebuza, procedeu à inauguração de quatro salas de aulas e uma de informática na Escola Primária Completa de Pambarra, na província de Inhambane. Neste empreendimento capacitou-se a escola com energia proveniente de painéis solares e um furo de água para a escola e a comunidade ao redor.

  

Apoiando o desenvolvimento educacional dos utentes, a mcel inaugurou em 2010 a Biblioteca Pública Municipal Marcelino dos Santos, em Nampula, apretrechando a sala de informática com 20 computadores ligados à internet e mobiliário, para além de livros e dicionários para os citadinos daquela urbe.

 

No capítulo da promoção da saúde e do bem-estar dos seus colaboradores e da sociedade em geral, a mcel organizou a tradicional Feira da Saúde, o que permitiu a todos os presentes efectuar rastreios médicos e participar em sessões de ginástica, actividades desportivas, yoga, palestras sobre HIV/SIDA, câncro de mama, câncro do colo do útero, nutrição e stress no trabalho, estimulando desta forma a qualidade de vida.

 

Com os parceiros externos, através do projecto Moçambique em Acção, promoveu a realização da Feira do Coração, sob o lema: “Responsável com a saúde do Coração”, durante o qual aproximadamente 15 mil pessoas participaram na marcha, sessões de ginástica e aeróbica para jovens e idosos, jogos para ciranças, voleibol, artes marciais, entre várias outras modalidades desportivas e, em paralelo, exames médicos.

 

Para assinalar o Dia Internacional da Criança, a mcel promoveu à escala nacional e em simultâneo, vários eventos festivos, tendo como tema a prevenção contra a malária.

Os filhos dos colaboradores participaram em palestras sobre o tema e peças teatrais sobre diversos tópicos de relevância, jogos e ainda muita diversão.

 

Ainda no que concerne à promoção da saúde, a mcel celebrou em 2010 um acordo com o Ministério da Saúde e a Clinton Foundation HIV/AIDS Initiative, através do qual os resultados das análises clínico-laboratoriais passaram a ser transmitidos, dos vários pontos do País, com apoio tecnológico, permitindo desta forma a redução da morbilidade e mortalidade em casos de crianças infectadas com o HIV/SIDA.

 

Por ocasião da inauguração do Centro de Atendimento da Maxixe, província de Inhambane, a mcel procedeu à oferta de mais de dois mil livros e dicionários a serem distribuídos a 22 escolas secundárias de toda a província.

 

Ao longo dos seus 13 anos de existência, a literatura moçambicana tem representado uma importantíssima aposta da operadora líder de telefonia móvel em Moçambique, tendo por isso apoiado o lançamento de várias obras de escritores moçambicanos nas demais categorias, como foram os casos de Sérgio Vieira, Victor Sousa, Hilário Matusse, Clemente Bata e Lucílio Manjate, Marcelo Panguana, entre outros.

 

Para responder às crescentes preocupações dos cidadãos moçambicanos, no que respeita à garantia dos direitos fundamentais e na procura duma justiça cada vez mais célere, a mcel, a Vodacom, e a Telecomunicações de Moçambique, assinaram um memorando de entendimento com a Procuradoria-Geral da República, para o estabelecimento de linhas telefónicas grátis, linhas verdes, que passaram a servir como mecanismo de interacção entre esta instituição e os cidadãos.

 

Nos finais de 2010, a mcel promoveu internamente a Feira do Livro, que consiste na troca de livros de autores patrocinados pela mcel por produtos alimentares não perecíveis, como resultado desta acção mais de 370 quilogramas de alimentos não perecóveis foram doados ao Orfanato Madre Maria Clara por ocasião das festas de final de ano.

 

 

Há um sorriso que nos liga!

Clique para listar as tarefas